Formação 2024-03-30

Eficácia determinante

O Académico de Viseu deslocou-se, este sábado, ao Benfica Campus para a jornada número seis, da Fase de Apuramento de Campeão do Nacional de Juniores. Frente ao Benfica, os beirões foram derrotados por 3-0, numa partida determinada pela eficácia.

O jogo começou equilibrado, com o Benfica a conseguir uma vantagem aos 11 minutos, através de um golo de Olívio Tomé. Apesar do revés inicial, o Académico de Viseu não se deixou abater e lutou, arduamente, para inverter o resultado. No resto da primeira parte, os Viriatos dominaram confiantes, criando inúmeras oportunidades de golo que não se concretizaram.

No segundo tempo, o Académico de Viseu continuou a pressionar em busca do empate, mas foi o Benfica que marcou novamente aos 51 minutos, com Olívio Tomé a bisar. Apesar dos esforços da equipa viseense, o Benfica ampliou a vantagem aos 63 minutos, com um golo de Francisco Neto.

Apesar da derrota por 3-0, o Académico de Viseu demonstrou uma atitude positiva e determinação ao longo do jogo, num resultado que não refletiu totalmente o que se passou em campo.

Na próxima jornada, os comandados de Sérgio Fonseca recebem o Sporting Clube de Braga no Estádio 1º de Maio, na jornada que encerra a primeira volta da Fase de Apuramento de Campeão.

Partilhar:
Formação

Será até ao fim

O Académico de Viseu visitou, esta tarde, a Cidade Desportiva SC Braga, em partida a contar para a 13ª jornada da Fase de Apuramento para a Taça Revelação. Na Cidade dos Arcebispos, a turma de Nuno Braga tentava manter vivas as hipóteses de qualificação, numa partida que poderia marcar a quarta vitória, em outros tantos jogos, sobre os bracarenses. Com uma entrada em jogo algo adormecida, os jovens Viriatos viram a equipa da casa a dispor das primeiras grandes ocasiões de perigo. Após os 20 minutos, o conjunto beirão reagiu à pressão inicial dos arsenalistas, invertendo a lógica do jogo, que passou a controlar. O golo solitário do jogo chegaria já dentro da compensação do primeiro tempo quando, através de um canto à direita do ataque, Kauã Oliveira segurou uma bola que faria entrar instantes depois, estreando-se a marcar pela camisola viseense. Já no segundo tempo, o Académico foi capaz de controlar o jogo com e, especialmente, sem bola não permitindo ao SC Braga grandes oportunidades de perigo. O técnico dos jovens academistas, Nuno Braga assumiu, no final da partida, a justiça do resultado: “A primeira parte teve outras duas totalmente diferentes. Numa das pausas mais demorada, ajustámos tudo aquilo que não estávamos a fazer bem, foi quase um tempo extra para nos organizarmos, porque o Braga estava a ser muito mais agressivo que nós. Na tal segunda parte do primeiro tempo, tudo mudou e ficámos por cima do adversário, e conseguimos ter o nosso jogo no meio-campo deles. Na segunda parte fomos muito inteligentes, gerimos a bola e protegemos muito bem a bola, anulando os pontos mais fortes do Braga. Mesmo nas transições, podíamos ter ampliado a nossa vantagem. Soubemos sofrer juntos, nunca dando muito espaço e evitando o perigo que eles traziam. A vitória ajusta-se, embora tenhamos começado mal fomos capazes de inverter o jogo e ser melhores que o Braga”. O Académico de Viseu ascende, provisoriamente, ao segundo lugar da classificação, com 32 pontos, ultrapassando à condição o CD Santa Clara, que só joga amanhã. Na próxima semana, os Viriatos jogam a última ronda desta fase, que irá decidir quem também segue para a Taça Revelação. O Académico recebe, no dia 26 de abril, a equipa vilacondense do Rio Ave FC, às 11H, enquanto à mesma hora os açorianos jogam em casa, frente ao Leixões SC.

2024-04-15

Patrocinadores Principais