Notícias Institucionais 2023-06-30

“Queremos desafiar o staff, os jogadores e a equipa técnica a serem cada vez melhores. É esse o nosso ADN”

No âmbito da inauguração dos novos escritórios da Académico de Viseu Futebol Clube, Futebol SAD, o Presidente da estrutura beirã, Mariano Maroto Lopez, convocou os órgãos de comunicação social locais, para uma conferência de imprensa no espaço das novas instalações. Aos jornalistas, o administrador começou por falar do início da nova temporada, que encara com confiança: “Ainda não sabemos como será a próxima temporada, temos muito trabalho pela frente. Estamos confiantes que será uma boa época, com uma equipa renovada e com um treinador e respetiva equipa técnica que irão fazer o seu trabalho daqui para a frente”.

Ainda sobre a equipa profissional de futebol, Mariano Lopez abordou o mercado de verão, e ainda o estágio de pré-época que decorrerá em solo alemão: “Vocês sabem como é o futebol. O Académico não tem intenção nenhum de vender um jogador. Queremos ficar com os jogadores que fazem parte no plantel, reforçando-o com talentos que achamos ideais para aumentar a qualidade em certas posições. Se vier uma proposta por 10 milhões, obviamente que não vamos resistir, mas para já a nossa estratégia é manter os jogadores e aumentar a qualidade do plantel, para conseguirmos jogar de forma diferente. O estágio será na Alemanha. A equipa sairá no dia seis de julho, e regressará no dia 15. Estaremos perto de Munique, e o objetivo é fazermos um desafio grande a todos, porque só se atinge o alto rendimento quando o cenário é diferente. Se estivermos acostumados à nossa zona de conforto, tudo fica na mesma. Nós queremos ser diferentes, evoluir e dar esse nosso toque especial. A SAD tem estratégia bem clara, que passa por desafiar o staff, os jogadores e a equipa técnica a serem cada vez melhores. É esse é o nosso ADN. Não queremos fazer igual aos outros clubes, mas sim criar a nossa identidade junta com os adeptos, com a cidade, criar o ADN do Académico. Nós investimos, e queremos um retorno em todos os parâmetros. E aqueles que não podem ou não querem acompanhar, têm de ser separados da estrutura”, concluiu.

Mariano Lopez falou ainda a cerca aquela que será a “casa” do novo escalão sub-23, aproveitando para deixar um agradecimento especial à autarquia de Santa Comba Dão: “Estamos a finalizar o protocolo com Santa Comba Dão. Fomos muito bem recebidos pela Câmara Municipal, que mostrou muita vontade em apoiar o Académico. Além disso, temos uma meta para os juniores e para toda a formação, algo que para nós é um dos pilares do projeto. Apostar da formação culminará com a oportunidade de aproveitar jovens talentosos que podem, depois, jogar na equipa principal de futebol. A estratégia será a mesma que a do ano passado com os sub-19. Iremos apostar em miúdos da nossa formação, um treinador que sabe perfeitamente o que precisamos de fazer e trazer outros jovens da nossa região e outros do Brasil. O plantel sub-23 está quase fechado e estamos muito confiantes pela maioria dos jogadores serem portugueses, visto que queremos valorizar os talentos nacionais”.

O também presidente do clube viseense reiterou os esforços que têm sido feitos para melhorar as condições estruturais do mesmo: “Estamos também a reestruturar o clube, e não só a SAD. Criámos a secção do futebol feminino, que será muito interessante para os adeptos e para as famílias que têm filhas que querem jogar futebol. Aliás, no Open Day fiquei muito impressionado com algumas meninas que apareceram a jogar muito bem. O facto do licenciamento da liga também nos obrigar, nas próximas épocas, a ter uma secção feminina, conjuga-se bem com a evolução que queremos dar ao Académico de Viseu”.

Tendo já investido bastante na requalificação das várias instalações do Académico de Viseu, a SAD beirã presidida por Mariano Maroto Lopez tem encontrado, nas palavras do administrador, as barreiras mais desafiantes em tudo o que tem a ver com o Estádio do Fontelo, e os campos que servem de terreno de treino para a equipa profissional de futebol: “As infraestruturas são, neste momento, a parte mais desafiante do projeto. Sabemos perfeitamente o que há e o que não há, e gostava de ter uma autarquia com uma projeção um pouco mais estratégica do futuro das infraestruturas desportivas, sobretudo ligadas ao futebol. Estou aberto para, em conjunto com o Presidente Fernando Ruas, falarmos sobre o que pode ser feito para melhorar as instalações desportivas no futuro. Também tenho de agradecer ao Presidente da Associação de Futebol de Viseu, que nos ajudou com a academia de Mundão e nos deu uma opção de treinar num relvado natural. Para um projeto desta envergadura, a médio-longo prazo temos de ter um terreno com dois ou três campos próprios. Estamos aqui para investir, e não só para gastar dinheiro”.

A ligação com a Câmara Municipal de Viseu tem sido estreita, e é desse ponto de partida que o administrador da SAD academista quer trabalhar para manter um investimento sustentável e com os olhos colocados no futuro: “Estamos há muitos meses a trabalhar com a Câmara Municipal a questão do Estádio do Fontelo. Entendo que juridicamente não é fácil, sendo que é uma autarquia a ceder um estádio a uma SAD, mas temos de trabalhar juntos, porque queremos um estádio digno de primeira liga. Não precisa de ser de luxo, mas sim com condições adequadas do século XXI, como uma bancada central que esteja coberta em todos os lados, e uma bancada nascente com cobertura para poder dar, tanto no verão como no inverno, boas condições aos adeptos. Podemos fazer um Fontelo maior e adequado, e para isso esperamos uma colaboração com a Câmara. Investimos já mais de 600 mil euros num estádio que não é nosso, que foi uma aposta para regressarmos ao Fontelo. Tem de ser um investimento equilibrado, com os olhos abertos”.

Partilhar:

Patrocinadores Principais